Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro.

PIX – Aquecimento nas vendas de Padarias

Meio digital de pagamento extremamente seguro e prático garante o recebimento imediato para o Panificador.

O Pix tem conquistado o mercado de pagamentos do Brasil e para lojas físicas, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central oferece muitas vantagens. Saiba mais!

Quando o assunto é o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, ouvimos muito falar em como ele é vantajoso para transferências entre pessoas físicas, mas vender com Pix pode ser muito positivo para o varejo físico.

Com transações disponíveis o dia inteiro e em qualquer horário, e com a liquidação de pagamentos em poucos segundos, o Pix muda o cenário para quem vende em lojas físicas.

O lojista desse tipo de comércio já está habituado a receber pagamentos por boleto e cartão de crédito apenas depois de alguns dias em que a compra foi realizada — o que pode variar de acordo com o meio de pagamento utilizado pelo consumidor. Com o Pix, essa compensação acontece em no máximo até 10 segundos.

Entenda como vender por Pix no varejo físico funciona e como optar por este sistema instantâneo de pagamentos pode ser benéfico para o seu negócio.

Vantagens de aceitar pagamentos via Pix

Ao vender com Pix, o varejista aumenta o leque de opções de meio de pagamento para oferecer ao consumidor, junto com os já muito conhecidos cartão de crédito e boleto bancário. Mas as vantagens em vender com o sistema de pagamento instantâneo não para por aí, confira:

Dinheiro cai em 10 segundos

O Pix também é chamado de sistema de pagamentos instantâneos, e essa denominação é literal, pois todas as transações realizadas pelo Pix têm compensação em até 10 segundos
Isso quer dizer que, no momento em que o cliente efetua o pagamento, o dinheiro cai direto na conta do lojista em uma questão de instantes. O mesmo vale para transferências bancárias entre terceiros.

Taxas reduzidas ou até zeradas

Uma das maiores vantagens que o Pix oferece, principalmente para quem vende, são suas taxas. Desde que foi anunciado pelo Banco Central, em fevereiro de 2020, o Pix já tinha a promessa de oferecer taxas mais competitivas do que as já existentes para outros meios de pagamento e transações, como cartão de crédito, boleto bancário e transferências bancárias

Não tem intermediários

Com o Pix, as transações acontecem de forma direta entre pagador e recebedor, sem intermediários como uma adquirente, por exemplo, o que pode acarretar taxas de aquisição.

Agilidade no controle do fluxo de caixa

As transações instantâneas do Pix possibilitam um maior controle de fluxo de caixa, pois com o dinheiro entrando em poucos segundos na conta do dono do negócio, é possível registrar mais rapidamente as entradas e saídas do caixa. 

Melhora experiência para o cliente

Além de ser um meio de pagamento ágil na hora de liquidar os valores efetuados, o Pix também traz mais facilidade para o consumidor na hora de fazer pagamentos e transferências. 

Quando o cenário é pagar por uma compra em uma loja online, por exemplo, o cliente vai poder apontar o celular para o QR Code ali na página de checkout da loja e já efetuar o pagamento. 

Outra possibilidade que as lojas online e aplicativos de delivery de comida, por exemplo, oferecem é a de copiar e colar o QR Code para que o pagamento seja feito no app da instituição financeira que o consumidor utiliza.

Alguns negócios, principalmente quem vende por redes sociais, optam por oferecer o pagamento de uma compra por meio de uma transferência Pix, na qual o cliente vai copiar a Chave Pix do lojista e fazer uma transferência do valor. Nesses casos, a agilidade em pagar por uma compra perde um pouco sua dinâmica, pois o consumidor também vai precisar enviar o comprovante para o lojista, o que deixa o processo de pagamento em pelo menos 3 etapas e em aplicativos diferentes: o da loja, o da instituição financeira do pagador e o do e-mail ou WhatsApp.

Para vendas físicas, o pagamento por Pix é ainda mais facilitado, pois o cliente não precisa estar com sua carteira, finalizando a compra toda pelo app de sua instituição financeira ali mesmo, no caixa. 

Na hora de fazer transferência, o Pix não decepciona no quesito experiência de pagamento, pois é só acessar o app, escolher a operação Transferência via Pix, incluir a Chave Pix de quem irá receber e pronto!

Como vender com o Pix no varejo físico: 4 maneiras fáceis de usar

Na hora de vender com Pix, é muito comum pensarmos nesse meio de pagamento para vendas online, pois a lógica de comprar e já pagar pelo próprio dispositivo móvel é muito dinâmica. 

No entanto, a mesma praticidade e velocidade que o Pix oferece para quem vende online, podem ser muito bem aproveitadas no varejo físico. Saiba as formas de vender pelo Pix na sua loja física:

1. QR Code impresso perto do caixa

Uma das formas mais simples de vender pelo Pix em lojas físicas é imprimir o QR Code com o valor dos produtos e deixar colado próximo ao caixa do estabelecimento. 

Essa prática funciona muito bem para lojas que contam com uma série de produtos com o mesmo preço. 

O próprio Banco Central dá um exemplo muito fácil de visualizar para esse tipo de uso do Pix que é do pipoqueiro. De um modo geral, existem três tamanhos de pipoca disponíveis para a compra (P, M e G), ou seja, um preço diferente para cada uma dessas variações de tamanho. 

Para agilizar os recebimentos e também para facilitar a vida do consumidor na hora de pagar, o comerciante pode deixar três QR codes Pix impressos, um para cada variação de preço, e colados perto do caixa. Assim, o cliente só precisa fazer a leitura do código com um dispositivo móvel e realizar o pagamento — e o lojista recebe direto na sua conta, em até 10 segundos.

Vale lembrar que para esse tipo de venda, o indicado é utilizar o QR Code estático, pois esse tipo de código pode ser utilizado em mais de uma transação financeira.

2. QR Code impresso na comanda de pagamento

É possível incluir um QR Code na comanda de pagamento de cada cliente. Essa comanda pode ser digital, que vai ser mostrada para o consumidor no caixa do estabelecimento.

3. QR Code na tela do aplicativo

Muitas lojas físicas já contam com sistemas de venda por dispositivos móveis como smartphones e tablets. Isso possibilita que as cobranças também sejam efetuadas dessa forma por meio do Pix. 

Para que isso seja possível, o lojista só precisa gerar o QR Code Pix no valor da compra e mostrar para o cliente, que então vai poder fazer a leitura do código e pagar pelos itens que comprou ali mesmo.

4. Via Chave Pix 

Outra possibilidade que o lojista tem para vender por Pix na sua loja física, é informar sua Chave Pix para o cliente na hora de efetuar o pagamento. Essas chaves são utilizadas pelo Banco Central para reconhecer endereços bancários dos usuários do sistema de pagamentos instantâneos e validar transações. 

Cada Chave Pix é gerada a partir do dado pessoal (e-mail, telefone, CNPJ/CPF ou telefone), ou ainda uma chave do tipo aleatória, criada pelo usuário para ser utilizada exclusivamente em uma única transação. 

Na hora de cobrar o cliente, o lojista vai informar sua Chave Pix e o pagamento poderá ser efetuado por meio de uma transferência para a conta do varejista.

Como incentivar pagamentos por Pix em estabelecimentos físicos

Para tornar as vendas por Pix em lojas físicas mais fáceis e convidativas para o cliente, o lojista precisa aderir a algumas estratégias:

  • Colocar QR Code impresso perto do caixa;
  • Garantir que a impressão do código esteja em boa qualidade e em um lugar bem iluminado para garantir a leitura;
  • Oferecer descontos para vendas pelo Pix;
  • Incluir adesivos indicando “Aceitamos Pix”.

Artigo de: Juno

Tags: No tags

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *